a Bombinhas em Foco ( 22/05/2017 ) a

Preços de produtos variam até 150% nas praias de Itajaí e região

Um dia de sol na praia pode fazer diferença no bolso, dependendo do destino escolhido. O Sol Diário pesquisou os preços de alguns dos produtos mais vendidos nas praias mais frequentadas da região, e descobriu que a variação pode chegar a 150% – uma diferença que, na avaliação do supervisor da Agência Acadêmica de Turismo da Univali, Athos Henrique Teixeira, não chega a influenciar na escolha do turista. Mas pode repercutir negativamente caso ele se sinta explorado.

– Se a diferença de valores for muito exorbitante, o turista pode levar uma imagem negativa do local – afirma.

A lista do Sol Diário incluiu água mineral, água de coco, caipirinha, churros, milho e picolé de limão das duas marcas mais conhecidas no mercado. O picolé foi o item que registrou a maior variação. Pode custar R$ 2 na Praia Alegre, em Penha, e R$ 5 na Praia Brava em Itajaí ou na Praia Central de Balneário Camboriú. Para Teixeira, o resultado não é surpresa:

– Picolé já se sabe que tem um preço alto na praia, porque no valor está incluído o trabalho do vendedor e a margem de lucro dele.

Mas o sorvete não é o único a variar entre uma praia e outra. Outra campeã na diferença de preços é a caipirinha. O Sol Diário pesquisou a versão mais barata do drinque brasileiro, feita com cachaça, e encontrou a mesma bebida sendo vendida por R$ 5, em Penha, e pelo dobro do preço em Bombinhas e na Praia Brava.

A menor diferença está na água mineral e água de coco, que não passou de 50% entre as praias. Churros e milho, por sua vez, variaram 66,6% de uma praia para outra, com preços entre R$ 3 e R$ 5.

Brava mais cara

– Tudo é caro, mas, por ser praia, acho que é normal. A gente já vem preparado para o gasto a mais – disse Wellinton Souza, 32 anos.

Turista de Americana (SP), ele escolheu para as férias a Praia Brava, em Itajaí, justamente a que tem o preço mais elevado, se considerada a compra de todos os itens que fazem parte do teste. Ao final do dia, se consumisse uma unidade de cada um dos produtos pesquisados, ele teria gastado R$ 31.

Em Penha – cidade onde a soma entre os produtos teve o menor resultado – .gastaria R$ 12 a menos, uma diferença de 63%.

– A gente sabe que na praia as coisas são bem mais caras do que na cidade de onde viemos. Mas lá não tem um mar como esse para se olhar. Acaba-se pagando pela vista _ diz Angela Santos, 44, que passa as férias em Balneário Camboriú. (Colaborou Victor Pereira)

Escassez eleva o preço do coco

Entre os produtos pesquisados pelo Sol Diário, o que teve a maior reclamação dos consumidores, em relação ao preço, foi a água de coco. Distribuidor de coco em cidades como Balneário Camboriú e Itajaí, Wilian Leão diz que existe alta no preço da fruta em função da escassez do produto no Nordeste.

– Há lugares que estão sofrendo com a seca há dois anos. Com pouco produto disponível, quem tem pede o que quer – afirma.

Nos últimos dois meses o coco passou por quatro reajustes de preço. Em novembro, chegava aos quiosques por R$ 1,70. Agora, custa R$ 2,70 – e o prejuízo é repassado ao consumidor.

– Estão abusando dos turistas. A gente vem à praia sempre, não há necessidade disso – disse Meri Vegini, 55 anos, turista de Jaraguá do Sul que está em Balneário Camboriú.

Wilian Leão diz que o preço só está ainda mais elevado porque houve safra no Espírito Santo, de onde tem vindo parte da fruta vendida na região. Segundo ele, o coco deve subir ainda, até o Carnaval.

Água mineral

Preços: R$ 2 a R$ 3
Variação de 50%

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 3
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - R$ 3
Itajaí (Praia Brava) - R$ 3
Itapema (Meia Praia) - R$ 3
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 2,50
Penha (Praia Alegre) - R$ 2

Água de coco

Preços: R$ 4 a R$ 6
Variação de 50%

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 6
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - R$ 5
Itajaí (Praia Brava) - R$ 5
Itapema (Meia Praia) - R$ 5
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 5
Penha (Praia Alegre) - R$ 4

Caipirinha

Preços: R$ 5 a R$ 10
Variação de 100%

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 8
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - R$ 10
Itajaí (Praia Brava) - R$ 10
Itapema (Meia Praia) - R$ 7
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 8,50
Penha (Praia Alegre) - R$ 5

Churros

Preços: R$ 3 a R$ 5
Variação de 66,6%

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 4
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - R$ 4
Itajaí (Praia Brava) - R$ 5
Itapema (Meia Praia) - R$ 3
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 3
Penha (Praia Alegre) - R$ 3

Milho  

Preços: R$ 3 a R$ 5
Variação de 66,6%  

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 4
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - R$ 3
Itajaí (Praia Brava) - R$ 3
Itapema (Meia Praia) - R$ 3
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 5
Penha (Praia Alegre) - R$ 3  

Picolé de limão  

Preços: R$ 2 a R$ 5
Variação de 150%

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 5
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - R$ 3,50
Itajaí (Praia Brava) - R$ 5
Itapema (Meia Praia) - R$ 3,50
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 2,50
Penha (Praia Alegre) - R$ 2

Custo total por cidade

Balneário Camboriú (Praia Central) - R$ 30
Bombinhas (Praia de Bombinhas) - 28,50
Itajaí (Praia Brava) - R$ 31
Itapema (Meia Praia) - R$ 24,50
Navegantes (Praia do Gravatá) - R$ 26,50
Penha (Praia Alegre) - R$ 19  



Fonte: JORNAL DE SANTA CATARINA (Blumenau – SC)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site