a Bombinhas em Foco ( 23/06/2017 ) a

Alta temporada compromete balneabilidade, diz Fatma


Em relação ao relatório anterior, aumenta impropriedade ao banho ao longo do litoral, que atinge 26,66% dos pontos monitorados e 32,30% dos localizados na Capital

A Fundação do Meio Ambiente – FATMA divulga neste sábado, 5 de janeiro, o Relatório da Balneabilidade nº 3 da temporada de verão 2012-2013, com a atualização dos pontos monitorados ao longo da orla catarinense com as condições de balneabilidade.

O estudo apurou que 52 pontos estão impróprios no Estado dos 195 monitorados, enquanto 21 pontos estão impróprios em Florianópolis, dos 65 monitorados. O estudo aponta um grau de Impropriedade de 26,66% no Estado e 32,30% na Capital.

O relatório traz a atualização dos pontos dos municípios de Itajaí, Itapema, Navegantes, Balneário Camboriú, Garopaba, Imbituba, Palhoça, São José, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Penha, Piçarras, Araranguá, Balneário Gaivota, Balneário Arroio do Silva, Içara, Passo de Torres, Balneário da Barra do Sul, Joinville, São Francisco do Sul, Bombinhas, Porto Belo, Florianópolis Ilha Sul (Lagoa da Conceição) e Norte da Ilha.

De acordo com o gerente de Pesquisa e Análise da Qualidade Ambiental da FATMA, Haroldo Tavares Elias, em relação ao último relatório do ano de 2012 verifica-se um aumento de 15 pontos impróprios no Estado e cinco pontos em Florianópolis. Atribui-se a grande elevação considerável da impropriedade das águas dos balneários ao forte incremento populacional em todo litoral catarinense devido à alta temporada. Haroldo Elias destacou como resultado negativo verificado na Lagoa da Conceição, na Capital do Estado, onde os cinco dos nove pontos avaliados estão impróprios, além disto, considera-se o ponto na Avenida Osni Ortiga impróprio devido à presença de algas, sendo assim somam-se seis pontos impróprios ao banho.

Da mesma forma, o Balneário de Bombinhas apresenta três pontos impróprios dos oito monitorados. No município de Penha dos 11 pontos monitorados quatro pontos estão impróprios, o que contribuiu para elevação do número de pontos impróprios avaliados em todo o Estado.

Na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, além do ponto nº 66 na Rua Osni Ortiga, o documento informa que foi constatada a elevação da presença de algas nos pontos localizados no Canto da Lagoa, P41 ao lado do posto de saúde, e P72 em frente à Rua Canto da Amizade. No Estado, os pontos que registraram alteração no seu comportamento, passando da condição de próprio para impróprio foram o P01 localizado no Pontal Norte da Praia Central de Balneário Camboriú; o P02 na Praia de Garopaba, em frente à Rua Lauro Müller; na Praia de Itapema os pontos 01, em frente à Rua 113, o 03 em frente à Rua 227 e o 08 em frente à Rua 261; e na Praia de Porto Belo os pontos 05, em frente à Rua Almirante Fonseca Neves e 06, em frente à Rua Capitão Gualberto Leal Nunes.

O estudo apurou que houve melhora nas condições de pelo menos dois pontos localizados na Capital, que passaram da condição de impróprio para próprio. Um deles foi na Lagoa da Conceição, o ponto 41 no Canto da Lagoa, ao lado do posto de saúde; o outro foi no Campeche, onde o ponto 73, localizado no Riozinho em frente a Servidão da Família Nunes, junto ao rio, também foi avaliado como próprio.

O serviço prestado pelo órgão ambiental avalia a qualidade sanitária da água para contato de recreação primária (banho, nado, esqui e outros). O relatório é apresentado em atendimento à resolução CONAMA 274/2000 que, em seu artigo 9º, diz que compete aos órgãos de controle ambiental a aplicação da resolução, cabendo-lhes a divulgação das condições das praias e dos balneários e a fiscalização para o cumprimento da legislação pertinente.





Fonte: aderbalmachado.com.br

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site