a Bombinhas em Foco ( 23/05/2017 ) a

Atirador mata dono de imobiliária com quatro balaços

Assassinato rolou na frente da coitada da mulher da vítima. Polícia suspeita de morte por encomenda
Um atirador desconhecido mandou pro além o empresário Maurício Alexandra, 52 anos, dono de uma imobiliária em Bombinhas. O crime, que rolou às 10h30 da matina de ontem, foi praticado na frente da mulher do empresário, cujo nome não foi divulgado pela polícia.
Maurício fazia plantão na imobiliária que tem o seu nome e que fica na avenida Aroeira da Praia. O empresário estava sentado atrás de sua escrivaninha e foi ali mesmo que recebeu os quatro tirombaços que lhe tiraram a vida.
Enquanto a muié da vítima gritava desesperada por socorro, o assassino simandou
(ESCAPOU - Do verbo escapar. Salvar-se, livrar-se: escapou do incêndio. Ser preservado de; não ser atacado por; evitar: escapou à doença. Fugir, escapulir-se, safar-se: escapar da prisão. Passar despercebido: seus movimentos escaparam ao observador. Soltar-se, cair: o livro escapou-lhe das mãos. Manifestar-se por descuido, ingenuidade, cólera: deixou escapar o segredo. Não ser compreendido; não ser percebido; não poder ser avaliado ou sentido; não estar ao alcance de: os movimentos muito rápidos escapam aos nossos olhos. Coar-se, verter (líquido); fugir (gás).
). Ninguém viu se ele estava diapé
(A PÉ -
) ou se contou com a ajuda de algum comparsa motorizado na hora da fuga. O corpo de Maurício foi encaminhado pra perícia do instituto Médico Legal (IML) e deverá ser enterrado hoje no Rio Grande do Sul, de onde era natural.
A polícia Militar foi chamada logo depois da execução. Mesmo Bombinhas tendo apenas duas saídas e com rondas por todos os bairros da pequena cidade, nenhum suspeito foi avistado. A mulher do empresário jura que não viu as fuças do atirador e por isso não pode ajudar a polícia que sequer tem as características físicas do bandido.
O caso foi repassado pra polícia Civil. Peritos estiveram no local do crime e recolheram materiais que possam dar pistas do assassino.

Teria sido encomendado
Os homidalei
(POLICIAIS -
) descartam a possibilidade de latrocínio, que é roubo seguido de morte, já que nada foi levado do local. A princípio, os policiais trabalham com a hipótese de crime encomendado. Como Maurício não era metido com bandidagem
(COLETIVO DE BANDIDOS -
), suspeita-se que o crime pode estar relacionado a algum negócio profissional.
Tudo indica que o atirador apareceu por lá com o alvo determinado, pois foi direto no empresário e sequer chegou perto da muié da vítima. Nos próximos dias, os familiares, amigos e colegas de serviço do corretor deverão ser chamados pra prestar depoimento na tentativa de ajudar a polícia a encontrar um motivo pro crime e desvendar o caso.



Fonte: DIÁRIO DO LITORAL (Litoral Catarinense)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site