a Bombinhas em Foco ( 23/09/2017 ) a

ATÉ QUANDO ESPERAR Opções são quatro vezes mais caras

As alternativas de traçados solicitadas pelo Ministério Público Federal (MPF) para a rodovia podem deixar a obra – prevista para custar cerca de R$ 43 milhões – até quatro vezes mais cara. Uma das opções prevê um túnel com extensão entre três e 3,5 quilômetros, a maior galeria subterrânea em uma rodovia de Santa Catarina.

Como comparação, pode-se citar o trecho Sul da BR-101, onde trafegam diariamente mais de 40 mil veículos na alta temporada. Dos três túneis da duplicação, o mais longo fica no Morro dos Cavalos e terá pouco mais de dois quilômetros. Na ligação entre Bombinhas e Porto Belo, o fluxo é de 23 mil veículos no mesmo período, segundo estimativa de 2006 apresentada pela ProSul, empresa que fez o estudo de concepção.

Tanto o traçado com o túnel quanto o da estrada sustentada por pilares são considerados técnica e economicamente inviáveis. Além disso, a conclusão demandaria mais tempo, já que seriam necessários dois anos – para os novos projetos de engenharia e estudos ambientais e para conseguir a licença prévia – e outros três anos para os trabalhos.

A opção escolhida segue o traçado já existente (veja no mapa). De acordo com o diretor de Meio Ambiente da ProSul, Antônio Odilon Macedo, o projeto respeita o entorno da unidade de conservação existente na área (chamada de zona de amortecimento), tem o menor impacto ambiental e oferece a maior viabilidade econômica. Além disso, é adaptado para seguir as recomendações ambientais e dar melhores condições de tráfego.

Macedo nega que a alternativa licitada tenha risco de desabamento do morro. Ele informa que o projeto prevê todas as contenções necessárias para evitar esse problema.

Segundo o consultor de Relações com o Mercado da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Joceli de Souza, o impasse no processo não é bom para ninguém.

– Cada dia emperrado é mais um dia que ela deixa de ser feita. Não há como exigir a construção de um túnel em uma rodovia que terá fluxo intenso durante a temporada e será ociosa no resto do ano. O custo social será muito alto – destaca.




Fonte: DIÁRIO CATARINENSE (Florianópolis – SC)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site