a Bombinhas em Foco ( 25/06/2017 ) a

Disputa na Saúde

Crescem as especulações de que o escolhido de Raimundo Colombo (DEM) para pilotar a Secretaria Estadual da Saúde é o médico joinvilense Dalmo Claro de Oliveira (PMDB). A indicação dele seria bancada por Eduardo Pinho Moreira.
Nas bancadas do PMDB e do PSDB na Assembleia, houve rejeição ao nome. Alguns deputados reclamaram porque não foram ouvidos. Outros porque não foram lembrados. Quem é contra a indicação questiona até que ponto o vínculo de Dalmo Claro de Oliveira com a Unimed não interferiria no futuro governo.
Fala-se ainda em outros dois nomes. Um deles seria João José Cândido (PSB), que comanda a Secretaria de Saúde de Florianópolis. O apelo público de Dário Berger para que seu secretário continue no governo antes mesmo dele receber um convite de Raimundo Colombo talvez não passe de uma saída honrosa. Além de filiado ao PSB, que não faz parte do governo, José Cândido sempre seria visto como um nome de Dário Berger, não do PMDB. Outra opção seria Celso Dellagiustina (PMDB). Secretário da Saúde de Bombinhas, é considerado um bom gestor, mas teria pouco respaldo político. Mas é o preferido por médicos e outros profissionais da saúde.
Os deputados estaduais do PSDB estão atrás de respostas. Ontem, em conversas com Paulo Bauer e Dalírio Beber, interlocutores dos tucanos no futuro governo, insistiram que o PSDB tem de manter a Educação, a Saúde, o Turismo e o Badesc. Os deputados ainda defendem que têm de ser recompensados no caso de perderem uma secretaria – o DEM está de olho no Turismo, mas o PSDB não admite perder a Saúde para o PMDB. A compensação viria com a Casan, que seria ocupada por Marco Tebaldi. No mapeamento dos tucanos, Dalírio Beber ocuparia a Educação e Serafim Venzon ficaria na Saúde. Faltaria um nome para o Badesc.




Fonte: A NOTÍCIA (Joinville – SC)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site