a Bombinhas em Foco ( 18/11/2018 ) a

Sindicato dos ambulantes tenta derrubar lei que tira 99 vendedores da praia

A galera do sindicato dos ambulantes de Bombinhas está quebrando a cabeça pra derrubar a lei que fez uma readequação dos registros dos vendedores nas praias da city. Pra eles, a mudança vai deixar 99 dos 168 ambulantes cadastrados na rua da amargura. A proposta já passou trocentas vezes pela câmara, chegou a ser rejeitada, mas foi reapresentada e aprovada no início deste mês.
O presidente do sindicato dos ambulantes, Vilmar Marchezzi, não sabe bem o que fazer pra evitar o preju da categoria, mas tem suado a camisa pra derrubar a lei. Vilmar se reuniu com advogados que analisam as mudanças e buscam possibilidades de derrubar a proposta aprovada pelos vereadores na sessão de 9 de novembro. “Eles (advogados) estão estudando formas de ajudar esse povo”, afirma.
Pro presidente da categoria, 99 famílias serão prejudicadas diretamente, já que a lei prevê a extinção de vagas de trampo e a mudança dos pontos de venda na orla. A prefa determinou que os ambulantes ficarão parados em barraquinhas pré-determinadas, nas vias de acesso às praias, e não poderão mais rodar pela areia pra vender seus bagulhos.
Mas Vilmar vai ter que correr atrás do prejuízo, pois a prefa já tá com tudo pronto e a lei passará a valer nesta temporada de verão. Já foi aberto até o edital de licitação dos serviços. Carine da Silva Pinheiro Carvalho, integrante da comissão da praia, explica que os interessados têm até dia 26 deste mês pra se inscrever.
Depois disso, os envelopes serão entregues, os documentos verificados e vai rolar o sorteio dos vendedores. A previsão é que toda a burocracia esteja encerrada no início de dezembro. “Esse alvará é do dia 15 de dezembro e válido até o dia 30 de abril de 2010”, informa Carine.
Em entrevista ao DIARINHO, o secretário de Turismo, Darlan Martins Junior, explicou que a lei organiza os pontos de venda e de cadastro. Como oferece menor número de inscritos, impediria que uns abusados disputem mais de uma vaga.
Antes de ser aprovado e sancionado, o projeto de lei passou trocentas vezes pela casa do povo de Bombinhas. Foi aprovado em primeira votação no início de outubro e rejeitado na segunda votação. Como o projeto recebeu emendas demais, teve que ser retirado de pauta. Mas o executivo não se deu por vencido, modificou a proposta e encaminhou dinovo pra câmara no início deste mês.
O executivo dividiu a proposta em duas e conseguiu aprovação de cinco dos nove vereadores. O presidente da mesa, Edson Tridapalli (DEM), explica que a proposta não foi aceita da primeira vez, pois tava junto com o plano de aumento das taxas sanitárias cobradas na entrada do município. Como os projetos foram divididos, ganharam a aprovação dos vereadores Silvio Sasaki (PSDB), Maria Julia Emilio (PSDB), pepista Marcos Chagas Perrone, Euclides Machado Garcia Filho (PSC) e o próprio Edson.
Edson sugeriu aos ambulantes que ficaram de fora que busquem novos locais pra vender seus badulaques. “Nossa cidade não se reduz a trabalhar na praia. Nosso comércio é muito forte”, afirma.



Fonte: DIÁRIO DO LITORAL (Litoral Catarinense)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site