a Bombinhas em Foco ( 18/11/2018 ) a

Mais de 10 galhudos já foram mortos

A quaresma chega na reta final com um saldo triste. Mais de 10 galhudos já foram mortos pra não rolar a farra do boi na região. Os animais foram guentados pela polícia durante a prática maldita ou quando estavam sendo transportados sem identificação.

Pelas contas do pessoal da companhia integrada de desenvolvimento agrícola (Cidasc), quatro bichos foram grampeados durante uma farra. Um boi foi guentado em Navega, outro em Itapema e outros dois em Porto Belo. O último foi no sábado. Os farristas judiaram tanto do animal que teve que ser sacrificado na bala pelos meganhas, na entrada da praia do Araçá.

Outros 10 galhudos foram recolhidos em Guabiruba, do ladinho de Brusque. Como os animais tavam sendo transportados sem identificação, a galera da Cidasc recolheu e abateu os bichos, pra evitar que eles transmitissem doenças. O prazo de ajustamento dos donos de bovinos acabou em novembro do ano passado. O criador de galhudo que for pego transportando o boizinho pelaí sem identificação será caneteado e terá o bicho levado sem choro nem vela.

Última semana

A última semana da quaresma é a mais crítica. É quando as farras passam a rolar com mais frequência. Pra evitar que a babaquice aconteça pelaí, os meganhas tão bolando planos de combate. Serão feitas barreiras nas entradas das cidades pra evitar que os farristas entrem nos municípios com os pobrezinhos.

O tenente da polícia militar de Balneário Camboriú, Rafael Régis de Souza, conta que os milicos ganharam reforço no policiamento pra dar um bizú melhor nas propriedades onde rolar denúncia de farra do boi. Pelo levantamento da Cidasc, Navega, Porto Belo e Bombinhas são os municípios que mais registram as crueldades da farra do boi.



Fonte: DIÁRIO DO LITORAL (Litoral Catarinense)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site