a Bombinhas em Foco ( 16/11/2018 ) a

PM planeja repressão à farra do boi

O plano de repressão à farra do boi deste ano vai contar com barreiras em rodovias estaduais montadas por policiais militares, uso de câmeras para identificar os participantes e um trabalho de inteligência para descobrir compradores e vendedores de animais usados no crime.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Eliésio Rodrigues, disse que a operação inclui duas etapas. A primeira é educativa. A outra é operacional e será desencadeada na Semana Santa. A intenção é que os 15 policiais que estarão em cada barreira nas rodovias estaduais interceptem e revistem todos os veículos suspeitos de transportar animais. Se for encontrado algum boi que seria usado em farra, o proprietário será autuado.

Rodrigues disse que neste ano a PM já recebeu duas denúncias. Uma em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, e a outra, na Capital. Ele revelou que as duas cidades, além de Itapema e Bombinhas, no Litoral Norte, e Garopaba, no Sul, são os locais de maior incidência do crime. A procuradora do Estado, Francis Lilian Silveira, ressaltou que são cidades de raízes açorianas, que mantêm a farra do boi como tradição.

Por força de lei, Santa Catarina precisa combater a farra para evitar o crime e prejuízos aos cofres públicos. Dia 12 de fevereiro, a Vara de Precatórios e Precatórias acatou uma ação e estipulou multa no valor de R$ 950 mil contra o Estado retroativa a 2000. O valor corrigido chega a R$ 2,8 milhões. A multa foi imposta por meio de uma ação movida pela Associação dos Amigos de Petrópolis (RJ).

A farra do boi foi considerada ilegal em 1997, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou acórdão determinando que a prática é crime. Na época, foi dado um prazo até 2000 para Santa Catarina se adequar.



Fonte: JORNAL DE SANTA CATARINA (Blumenau – SC)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site