a Bombinhas em Foco ( 18/11/2018 ) a

Bombinhas barra ônibus de turismo

O turista que deseja conhecer as mais de 20 praias de Bombinhas, no Litoral Centro-Norte, tem poucas opções: ou arruma um meio próprio de transporte, ou paga R$ 5 para circular nas vans registradas pela prefeitura. Uma lei de 2001 obriga veículos de turismo a pagar para entrar na cidade, em uma barreira sanitária, e os impede de transitar nas ruas do município. Apesar de protestos dos turistas ao longo dos anos, a medida voltou a ser adotada nesta temporada.

Abaixo da placa de boas-vindas a Bombinhas fica a barreira da Vigilância Sanitária para ônibus, micro-ônibus e vans que entram no município pela SC-412. Após preencher um questionário sobre o veículo e o transporte de alimentos e bebidas, os ônibus têm de desembolsar R$ 140 e as vans e micro-ônibus, R$ 70.

Na barreira, os motoristas também são orientados a parar o veículo em um estacionamento público na Praia de Zimbros. Os passageiros, no entanto, devem desembarcar em um terreno baldio no Bairro Bombas, a 500 metros da praia. Neste local ficam as nove vans autorizadas pela prefeitura a fazer o transporte dos turistas.

Guia de turismo diz que não trará mais passageiros

– Vim de Goiás e nunca vi esse tipo de coisa. É um assalto. Além de pagar para entrar na cidade, temos que pagar para andar aqui – indignou-se o guia turístico Abel Luiz de Queiroz.

Passageira do ônibus, Letícia Queiroz também reclamou:

– Já temos o gasto com o ônibus de excursão, aí chegamos aqui e é taxa em cima de taxa. Nosso gasto é quatro vezes maior por causa disso.

O grupo de 50 turistas desembolsou os R$ 140 de taxa para inspeção sanitária e mais R$ 250 para o transporte nas vans.

Motorista de um ônibus paraguaio, Oscar Reinoso também disse já ter pedido para a agência de turismo retirar Bombinhas do roteiro.

– Temos que parar o ônibus em Zimbros, uma das praias que os turistas mais gostam de visitar, mas eles têm de ficar em Bombas e pagar a van para vir para o mesmo lugar que a gente – reclamou Reinoso.

tatyana.azevedo@diario.com.br

Contrapontos
O que diz a secretária de Turismo, Nívea Maria da Silva Dücker:
A secretária de Turismo do município, Nívea Maria da Silva Dücker, disse que a lei é necessária para diminuir o tráfego de veículos de turismo na cidade e evitar engarrafamentos. Segundo ela, a nova gestão da prefeitura está estudando uma maneira para o turista não ser lesado, mas não há modificações previstas para a atual temporada de verão.
O que diz a diretora de Vigilância Sanitária, Tânia Mattos:
A diretora disse que o valor arrecadado na barreira de inspeção sanitária, na entrada do município, é revertido em obras de saneamento básico.



Fonte: JORNAL DE SANTA CATARINA (Blumenau – SC)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site