a Bombinhas em Foco ( 18/11/2018 ) a

Tartaruga e pingüim aparecem nas praias de Bombinhas e Barra Velha

Não são só os turistas que tão pintando pelas praias da região. Nos últimos dois dias, um pingüim de Magalhães e uma tartaruga foram encontrados dando um rolé pela areia. O pingüim apareceu no domingo, na praia do Tabuleiro, em Barra Velha, e foi resgatado por um banhista. A tartaruga tava no costão da praia de Bombas, em Bombinhas. Ela foi salva pelo corpo de bombeiros.

De acordo com o professor Michael Mincarone, do Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar (CTTMar) da Univali, as mudanças climáticas do planeta podem ter influência no aparecimento dos animais, principalmente no caso do pingüim. "Não é comum que os pingüins apareçam nesta época do ano, perto do verão. A migração deles tá mais relacionada ao inverno", disse.

Quanto à tartaruga, que ainda é um bebê com pouco mais de 20 centímetros, a hipótese mais provável é que o animal esteja doente. "Nessa idade, pra ter ido parar na praia ela já devia estar debilitada", disse Michael. De acordo com os bombeiros de Bombinhas, que salvaram a bichinha, ela parecia mesmo doente.

Os dois animais foram encaminhados pra Univali, onde especialistas vão tentar saber exatamente o que aconteceu com eles antes de pararem na praia. Depois de estudados e tratados, se estiverem em boas condições, a tartaruga e o pingüim serão devolvidos ao mar.

Cuidados

O aparecimento dos bichinhos causa mó alvoroço pelas praias. Mas é bom segurar a curiosidade e evitar tocar nos animais. "Muitas pessoas pensam que o animal gosta de brincar, mas, muito pelo contrário, este ato inconseqüente o estressa muito", alertam os bombeiros voluntários de Barra Velha.

Os vermelhinhos lembram que não é necessário recolher qualquer animal que apareça pela praia, já que muitos escolhem a costa brasileira pra dar uma relaxada antes de seguir viagem. Só é preciso dar um trato no bichinho quando ele apresenta sinais de estar machucado, doente, maltratado ou em locais em que representam perigo pro povão e pra eles mesmos.

Pra quem encontrar um pingüim nessa situação, o setor de Biologia da Univali avisa que o ideal é colocá-lo numa caixa de papelão forrada com jornal. Se der de cara com uma tartaruga, procure não tocá-la. Algumas doenças que afetam esses bichinhos podem ser transmitidas pro ser humano. Caso o animal esteja machucado, procure os bombeiros, a polícia ambiental, o Ibama, ou o Centro de Oceanografia da Univali, na Penha.




Fonte: DIÁRIO DO LITORAL (Litoral Catarinense)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site