a Bombinhas em Foco ( 18/11/2018 ) a

Cemitérios da região tão superlotados

Defuntos foram enterrados no terreno do vizinho em Porto Belo

Das três cidades que fazem parte da Costa Esmeralda, Porto Belo é a que apresenta os maiores problemas. Há bastante tempo que não há vagas para os sepultamentos. De acordo com o pároco de Porto Belo, padre Rivelino Seidler, a administração do local é de responsabilidade da prefa, porém nada tá sendo feito para melhorar a estrutura do espaço. "O cemitério está uma bagunça e eu não posso intervir. Já houve casos de pessoas sendo enterradas no terreno do vizinho", reclama o religioso. Além disso, ele denuncia que o coveiro, que é funcionário público, está comercializando os lotes dentro do cemitério. "Ele age como um corretor de imóveis. Tira os restos mortais sem a autorização da família e depois revende o espaço. A prefa já foi processada por isso, mas não resolve o problema.
O padre relatou que em 2007 foi realizada uma reunião com alguns vereadores, lideranças comunitárias, poder executivo, a ação social da igreja católica de Porto Belo e o prefeito Albert Stadler, o Curru, pra que fosse tomada uma providência no local. Ao final do encontro, ficou definido que a partir daquele momento a responsabilidade pela manutenção e administração do cemitério ficaria a cargo do poder executivo.
Segundo o vereador José Carlos Gargano, o prefeito se comprometeu, ainda, a enviar um projeto regulamentando a cobrança de taxas pela ocupação dos túmulos e que iria adquirir um novo local para instalar o cemitério municipal. Mas até agora nada foi feito.
O prefeito diz que a administração tá estudando algumas áreas e que a construção de um novo cemitério depende da liberação da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (FATMA). "Se tudo der certo iniciamos já no próximo ano. Em relação às denúncias de venda de sepulturas ele afirmou não saber do assunto. "Na reunião foi falado alguma coisa, mas até agora não me passaram nada oficialmente. Não recebi nenhum documento falando disso", explicou Curru.

Bombinhas e Itapema

Em Bombinhas, a situação é um pouco mais tranqüila, mas não menos preocupante. Lá existem dois cemitérios quase lotados. O problema deve ser discutido quando o novo prefeito assumir em 2009. Itapema apresenta a melhor estrutura para sepultar seus mortos. Segundo o administrador do cemitério, Julio Cesar Adriano, o local já tem mais de quatro mil defuntos e os espaços podem durar mais uns dois anos de acordo com a procura das vagas.




Fonte: DIÁRIO DO LITORAL (Litoral Catarinense)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site