a Bombinhas em Foco ( 16/11/2018 ) a

Não vem que não tem

Vereadores Paulinha e Alexandre lideram as rejeições



Política é assim mesmo. Tem gente que gosta dos candidatos. Mas tem gente que não quer ver os caras nem pintados de ouro. É por isso que o IPS da Univali sempre mede os chamados índices de rejeição. Esses índices podem medir as possibilidades de crescimento ou mesmo se uma candidatura vai empacar de vez. Um dado importante para os marqueteiros de campanha, que têm a difícil tarefa de descobrir por que tem tanta gente de cara virada para o seu candidato.

Os mais rejeitados

Quem amarga o título de mais rejeitada nestas eleições em Bombinhas é a bela Paulinha (PDT). Nada menos que 25,06% dos eleitores dizem que não votam nela de jeito nenhum, de acordo com a pesquisa da Univali. Paulinha já era a mais rejeitada na pesquisa de maio e seu índice, de lá pra cá, aumentou 10 pontos percentuais.

A medalha de bronze no quesito sai pra lá que não te quero vai para o candidato Alexandre (PSC). Ele teria 20,36% de rejeição. Em maio, eram 11,44% dos eleitores bicados com ele. É como se ele tivesse crescido pra baixo uns nove pontos percentuais.

Lourdes (DEM) fica com a terceira colocação quando assunto é rejeição. Teria 16,92% dos eleitores antipáticos à sua candidatura. Seu nível de rejeição cresceu pouco. Há pouco mais de três meses tinha 12,90%.

Os menos rejeitados

Maneca do Quiosque tem um baixo índice de rejeição, levando em consideração sua posição como o preferido do eleitorado de Bombinhas. Apenas 11,07 do povão disse que não votaria em Maneca de maneira alguma. Em maio, sua rejeição era de 3,89%.

O candidato do PR, Luiz Hilário, continua no nem fede nem cheira. Estaria com 3,44% de rejeição. Em maio ele não aparecia na pesquisa nem como rejeitado.




Fonte: DIÁRIO DO LITORAL (Litoral Catarinense)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site